O ministro da Transparência quer proibir que agentes públicos recebam qualquer presente de quem tenha interesse em parecer, recomendação ou voto — hoje são admitidos “mimos” de até 100 reais.

Em entrevista à BandNews FM, Torquato Jardim defendeu que todos os servidores sejam obrigados a divulgar agenda de reuniões.

Atualmente, apenas cargos de confiança de escalão superior têm essa imposição.

O texto estabelece o credenciamento prévio dos lobistas para melhorar à prestação de contas para a sociedade.

O projeto de lei, no entanto, não tem prazo para ser apreciado pelo presidente Michel Temer.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here